Mãe, mas Mulher

Sou mãe e digo, sem qualquer dúvida, que este é o amor mais puro e mais bonito de se sentir.

Sou mãe e sinto que sou uma mulher muito mais feliz desde que gerei o pequenino ser que habita a minha casa, o meu coração e, até, a minha alma.

Sou mãe, amo a minha filha mais que tudo, daria a minha vida por ela, ela é a minha prioridade.

Mas isto não impede que me ame a mim mesma, ao meu marido, à minha família, amigos e ao tempo de lazer.

Sou “Mãe, mas mulher”. E quero continuar a ter vontade de arranjar o cabelo, as unhas, de me maquilhar.

Sou “Mãe, mas mulher”. E quero continuar a investir em mim. Ler, estudar, crescer, amadurecer. Ser um exemplo para a minha filha que cresce, quero que ela deseje ser um pouco do meu reflexo.

Sou “Mãe, mas mulher”. E quero fazer umas comprinhas de vez em quando, sentir-me bonita ao sair de casa, ter vontade de me ver ao espelho.

Sou “Mãe, mas mulher”. E quero que o meu homem olhe para mim e os seus olhos brilhem, e que tenha vontade de me amar.

Sou “Mãe, mas mulher”. E quero aproveitar momentos meus, sem me sentir culpada por não estar com o meu rebento.

Sou mãe, esse é o meu papel principal, a minha prioridade, mas só sou mãe porque sou mulher e quero continuar a sentir-me mulher.

É isto que define o grupo de facebook “Mãe, mas mulher”. Se se identifica, junte-se ao grupo.

 

Mãe, mas Mulher

Criei um grupo de Facebook, um bocado num ímpeto de impulsividade, com o nome “Mãe, mas Mulher”. 

Porquê?

Porque é isso que sinto. Sou mãe, amo a minha filha mais que tudo, mas também sou mulher. Existem inúmeros grupos de mamãs, onde eu estou e gosto de estar, mas acho que estava a faltar um onde as mamãs pudessem falar, sem receio de represálias, das coisas que sentem falta de fazer desde que são mães, e onde nos motivemos umas às outras para cuidar de nós.

Espero que se torne um espaço de partilha interessante.

Para quem estiver interessada, aqui está o link https://www.facebook.com/groups/maemasmulher/