BlogMania

Vamos lá retomar a apresentação de blogues que eu descubro.

Hoje venho falar-vos do Contador d’Estórias. É um pequeno blogue muito simpático e a sua autora é muito acolhedora. Não me recordo como o descobri, mas sei que gosto de o visitar. A escrita da autora é de muito boa leitura, flui. E, apesar de ser uma Portuguesa emigrada, sob o risco de ver influenciado o seu Português, não deixa que isto aconteça e escreve muito bem.

10649622_820467601379250_9204290670226158032_n

Venham conhecer! Continue Reading

Escrita

Já que ontem foi dia do beijo, venho hoje, talvez já tarde, escrever sobre o beijo.

Diz-se que um beijo não se dá, rouba-se! Não sei se concordo, mas sei que, em parte discordo. Há lá coisa mais gostosa que um beijo consentido? Seja ele de que tipo for.

Um beijo dado bem próximo dos lábios, beijo que promete e diz “Quero mais”. Continue Reading

Escrita, Vida

11116091_881678918537905_415039357_n

Mais um Domingo de Páscoa que passou, Aleluia, Aleluia!!!

Mais um Domingo de Páscoa que passou e em que eu recordo sempre os tempos felizes de criança, as Páscoas em que eu recebia os ovos de chocolate, com brinde dentro, e as amêndoas, e os comia até a minha mãe os esconder, para eu parar de comer!! Continue Reading

Escrita

Não sei bem o que me invade quando começo a escrever, mas é fácil, flui. Antes pegava no papel e na caneta, agora, confesso, sou mais de computador ou tablet.

Deve ser caso de amor, entre os meus dedos e o teclado. Deve ser!!! As mãos jogam-se para os braços do teclado, dançam em cima dele, como se tocasse piano. Não é música que se produz, são linhas, parágrafos, versos. É a música que soa dentro de mim, são reflexos da minha alma, do meu coração, do meu cérebro a mil.

A mil? Não, a mil não, é bem mais rápido que ele corre. Tomara eu que os meus pensamentos ficassem registados, à velocidade que os penso, ou os deliro. Ficava tudo registado, tudo escrito, prontinho para se ler.

Não é difícil saber sobre o que escrever. Talvez, às vezes, seja difícil saber como escrever. Escrevem-se as palavras à velocidade do sentimento que me percorre. Desenham-se os textos, com a caneta do coração.

Escrita, Vida

Este texto é a parte 2 do texto “Um marco difícil de alcançar”.

Hoje venho falar-vos de um específico, que me tem tocado, que está na minha vida, e que me tem feito pensar! Falo de duas pessoas que me são próximas, não interessa dizer nomes! Foi tarefa árdua engravidar, foi tarefa árdua conseguir engravidar e levar avante. Felizmente e finalmente, o rebento mora naquele útero, com vitalidade e saúde. Aos poucos vai-se preparando a chegada do rebento.

Mas este rebento, ainda dentro do útero, já tem feito das suas e já tem vincado bem, que vai ser uma pessoa de personalidade marcada e vontade própria.  Nem sete meses de gestação, e o pequenino habitante daquele útero viu abrir-se uma lasquinha na bolsa que o rodeia, e vê a sua piscina tornar-se menos abundante.

Foi um susto, um belo de um susto que ele pregou aos pais, e continuamos, todos os dias, a rezar, para que tudo não passe de um susto!!! Como se lida quando, dois meses e meio antes do dia previsto, se vê o filho a querer nascer? Tanta coisa por preparar, tanto enxoval por comprar, tanta alteração na casa por fazer, tanta maturidade que lhe falta alcançar, lá dentro, no quentinho do útero damãe.

Começo a sentir a gravidez como um acontecimento de etapas. Primeiro abdicar dos contracetivos e fazer análises. Etapa 1, a mãe passar nos testes. Depois, conseguir engravidar. Etapa 2, concretizar. A seguir, manter a gravidez. Etapa 3, manter. Não nos esqueçamos dos rastreios logo a seguir ao primeiro trimestre.  Etapa 4, a gravidez passar nos testes. E depois, chegar ao final da gravidez, sem grandes sobressaltos, sem problemas, com saúde, dando à luz um bebé saudável e perfeito. Etapa 5, Meta: Bebé saudável nos braços.

5 etapas, que acabam por ser a partida de uma ncrível maratona, criar uma criança, ajudá-la a tornar-se um adulto, homem ou mulher de valor, que um dia irá ser mãe ou pai, e voltamos às 5 etapas outra vez. Diria até que a vida vive deste ciclo iniciado nestas 5 etapas.

No que depender de mim, este marco difícil de alcançar, destas pessoas que me são queridas, vai superar as 5 etapas, vamos todos respirar de alívio e festejar a vida saudável e feliz deste rebento que nos tem posto a mexer a nós, e tem mantido a mãe deitada numa cama, sem nunca se levantar.